31/07/2009

FIQUE LIGADO(A)!

ATENÇÃO!!!
O REINÍCIO DAS AULAS FOI ADIADO PARA 10/8/09.
Assista ao vídeo e saiba mais sobre o vírus Influenza A (H1N1).

video

Leia mais no portal da PBH:

http://portalpbh.pbh.gov.br/pbh/ecp/noticia.do?evento=portlet&pAc=not&idConteudo=30779&pIdPlc=&app=salanoticias

19/07/2009

FORMATURA DO PROERD 2009

Em 10 de julho aconteceu o evento de formatura dos alunos do 2º ciclo, participantes do Programa de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD). A certificação ocorreu na Escola Sesi Hamleto Magnavacca e contou com a presença de diversas escolas participantes do Programa, além de autoridades da PBH e da Polícia Militar/MG. A aluna Brenda, da turma 22B, teve sua produção de texto premiada e todos os estudantes cantaram, em coro, a música "Vem Andar Comigo" (Jota Quest), quando abrilhantaram a festa com uma coreografia, que foi um verdadeiro espetáculo!
Aproveitamos a oportunidade para agradecer à Cabo Kelly, que, com grande carinho, levou à frente esse Programa e tanto ensinou aos nossos alunos.

16/07/2009

SAIBA MAIS SOBRE PIPAS E PAPAGAIOS!



NOMES DADOS ÀS PIPAS EM REGIÕES BRASILEIRAS E OUTROS PAÍSES

Brasil
Papagaio - Em todo o Brasil
Raia - Norte do Paraná até Curitiba
Quadrado e Papagaio - Interior de São Paulo
Curica, Cângula, Jamanta, Pepeta, Casqueta e Chambeta - Norte
Pipa - São Paulo (capital) e Rio de Janeiro
Arraia, Morcego, Lebreque, Bebeu, Coruja e Tapioca - Nordeste
Barril e Bolacha - Nordeste
Estilão e Pião - Sudeste
Pandorga - Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sul do Paraná
Cafifa - Niterói
Maranhão - Minas Gerais e algumas regiões do interior de São Paulo

Outros Paises
Cometa - Espanha, Uruguai e alguns países de língua castelhana
Papalote - México
Barrilete - Argentina
Papagaio - Portugal
Kite - Inglaterra, Estados Unidos e todos os países de língua inglesa
Tayara - Líbano
Cerfvolant - França e países de língua francesa
Aetos - Grécia
Drachen - Alemanha Wau - Malásia
Aquiloni - Itália e países de língua italiana Sarkany - Hungria
Takô - Japão Leijani - Finlândia
Shirosshi e Shiem - China Vliegers - Holanda
Drak - Tchecoslováquia (em Tcheco) Drakar - Suécia
Jarkan - Tchecoslováquia (em Eslavo) Didak - Bélgica
Volantin - Chile e alguns países de língua castelhana
Wau - Malásia
Sarkany - Hungria
Leijani - Finlândia
Vliegers - Holanda
Drakar - Suécia
Didak - Bélgica
Stell - Em Basco (região de Barcelona - Espanha)
Atok´er - Língua Maya
Tchiang - Nepal
Patang - India , Afeganistão
Vozdouchnei - Zmiei - Rússia
Chiriachirou - Sri Lanka
Caidéu - Vietnam
Wau - Indonésia
Yoah - Coréia
Tairawakia - Iran , Iraque , Baren

http://www.pipas.com.br/home.htm

PIPAS VIRTUAIS

Construa pipas virtuais de alta tecnologia com o auxílio de um programa simulador disponível no site da NASA, mais especificamente na página de Downloads de Programas Interativos. Além desse simulador de pipas, há também disponíveis outros programas bastante interessantes tais como, um simulador de foguetes, um de variação da atmosfera terrestre de acordo com a altitude e mais um que permite fazer experiências para investigar-se o comportamento dos gases.


AS PARTES DA PIPA

VELA - É a superfície de papel plástico ou tecido onde o vento bate, fazendo com que a pipa levante vôo.

ESTRUTURA - É a armação de varetas que pode ser feita de madeira, bambu, fibras, palito de coqueiro, caule de paina, duralumínio e outros materiais. As varetas são as que mantém a vela esticada e seguram a estrutura da pipa.

ESTIRANTE OU CABRESTO - São tensores de linha que servem para manter a pipa com certa inclinação em relação ao vento. Os estirantes se unem à linha para que o vento levante a pipa do chão. Uma regra prática para regular os estirantes de uma pipa consiste em pendurá-los e regular de modo que a superfície forme um ângulo de aproximadamente 30º em relação à horizontal. Esta regulagem é só aproximativa, porque a definitiva será feita no momento de empinar. O ângulo vai depender do tipo de pipa e da força do vento presente. O estirante, dependendo da região do nosso país, recebe vários nomes: cabeçote, cabeção, cabeçário, compasso, cabresto, quilha, brida, chave, zil, tirante etc..

CAUDAS - O objetivo da cauda é estabilizar o vôo da maioria das pipas planas. Existem diversos tipos de caudas, cada qual mais indicada ou com melhor desempenho, de pendendo da pipa escolhida. A cauda, dependendo da região do Brasil, pode receber vários nomes; rabo, rabiola, rabada etc.


RABIOLA - Em um único fio são amarradas várias tiras de papel ou plástico com cerca de 50 cm de comprimento e 2cm de largura, em intervalos aproximados de 15cm. Pode ser usada em qualquer tipo de pipa e é a única cauda que funciona no caso do maranhão. Material adequado: papel crepom, plástico, pano leve.

TIRAS - É o tipo mais simples de cauda: Corte tiras de papel ou plástico de 1,5 a 2,00 m de extensão e 3 cm de largura. Duas ou três tiras são o suficiente. Material: papel crepom, plástico e pano bem leve.

CORRENTE - É uma cauda composta de tiras de papel montadas em forma de elo. E necessário, porém, fazer pequenas argolas e entrelaçá-las, unindo as pontas das tiras com cola. Material adequado: papel de seda ou papel impermeável.

O VÔO:

A força dos ventos é muito importante pois, no caso de ventos fracos, as pipas grande de maior peso não levantam e os ventos fortes quebram as varetas. O melhor vento para se empinar pipas é o de média intensidade e contínuo A subida da Pipa se dá devidamente do escoamento do vento sobre suas asas, formando uma zona de baixa pressão em cima da pipa. As pipas devem ser as mais leves possíveis para que o vento possa levantá-las. Para certos ventos, deverão ter estrutura mais leve que o suporte, a vela armada e resistir à força do vento sem quebrar. Um cálculo rápido para saber se a pipa vai funcionar consiste em pesar a Pipa e dividir o peso em quilos pela superfície ativa da vela em metros quadrados. A posição da pipa em vôo depende do ângulo de ataque (entre 25 e 30°). Para isso, o estirante deve ser confeccionado com ângulo aberto para o vento fraco e fechado para o forte. A elevação máxima pode ser atingida quando a pipa se encontra na direção oposta ao vento. A estabilidade direcional e lateral depende das proporções e de um equilíbrio de peso e dos planos sobre o eixo de simetria, bem como da igualdade dos estirantes superiores (se forem dois). Esta regra se aplica a todas as pipas, sem exceção.

A LINHA - A linha é fundamental na confecção da pipa para amarrar as varetas e fazer a armação, além de servir para empiná-la. Para enrolar a linha na hora de empinar a pipa, são empregados alguns objetos, como carretilhas, manete, latas de cerveja e luvas, para proteger contra bolhas e cortes nas mãos.
http://www.festivaldojapao.com.br/artesanato_pipa_03.htm

PROJETO PIPAS E PAPAGAIOS UNE DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO NO 3º CICLO!

O Projeto Pipas e Papagaios foi iniciado em julho e mostrou que a arte de confeccionar e empinar pipas e papagaios pode ser uma atividade prazerosa, de cartáter lúdico da cultura popular, de difrentes faixas etárias e também pode ser tema central de projetos interdisciplinares, capaz de contemplar atividades cognitivas e socializadoras.
As atividades envolveram as áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Educação Física, Arte e História do 3º ciclo de formação, no turno da tarde.
Foram trabalhados diversos tipos textuais sobre o tema, como poemas, músicas, verbetes de dicionário, instruções de montagem, além de filmes, e, como não poderia deixar de ser, o projeto culminou numa alegre excursão ao Parque Ecológico da Pampulha, para que os alunos pudessem empinar seus papagaios de maneira segura.
Logo, logo, teremos as fotos desse momento mágico! Aguardem!

CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR NOVAS POSTAGENS!