25/06/2009

VISITA AO MUSEU DE CIÊNCIAS NATURAIS DA PUC-MINAS

"UMA NAÇÃO A SER DESCOBERTA."
Como era o Brasil antes de Cabral chegar por aqui?
Quando os primeiros seres humanos apareceram aqui?
Que animais vivam em nosso território?
Perante as perguntas levantadas nas aulas de História do 3ºano do 2º ciclo, a professora Walna propmoveu um trabalho de campo no Museu de Ciências Naturais da PUC-Minas no dia 24/6, para enriquecer suas aulas e propiciar a interdisciplinariedade.
Foram visitados os setores dos grandes répteis, dos mamíferos gigantes e de Peter Lund, o dinamarquês que encontrou um crânio humano de 10 mil anos em Lagoa Santa, batizado de Luzia.
Para Walna, "estudar a Pré-História brasileira é uma possibilidade muito rica de identificar a existência de uma variedade grande de animais gigantes que habitaram o Brasil, como tatus, preguiças, mastodontes, gliptodontes e outros grandes predadores".
Os alunos se maravilharam e deram um show de comportamento e participação, com perguntas e comentários pertinentes e sensatos.
Agradecemos também à Vânia e Leandro, que acompanharam professora e alunos na escursão.

4 comentários:

  1. que legal tb ja fuila

    ResponderExcluir
  2. Luzia é o nome dado ao fóssil humano mais antigo encontrado nas Américas. Estudos de datação das camadas de sedimento do local onde foi encontrada sugerem que ela morreu entre 11.000 e 11.500 anos atrás. Este esqueleto de uma mulher foi encontrado em 1975 pela missão arqueológica franco-brasileira, chefiada pela arqueóloga francesa Annette Laming-Emperaire, na tentativa de aprofundar as pesquisas do naturalista dinamarquês Peter Wilhelm Lund (1801-1880). O fóssil foi achado em escavações na Lapa Vermelha, no município de Pedro Leopoldo (MG). Esta região é famosa pelos trabalhos de Lund que descobriu, entre 1835 e 1845, milhares de fósseis de animais extintos da época do Pleistoceno e 31 fósseis humanos.
    O crânio de Luzia foi transportado para o Museu Nacional do Rio de Janeiro, onde se encontra depositado na coleção de Paleontologia. O Museu de Ciências Naturais PUC Minas possui uma réplica idêntica ao crânio original de Luzia, na exposição "Peter W. Lund: Memórias de um Naturalista".
    Luzia foi o apelido dado carinhosamente ao fóssil pelo biólogo Walter Alves Neves, do Instituto de Biociências da USP. Ele se inspirou em Lucy, um fóssil de Australopithecus afarensis de 3,5 milhões de anos achado na Tanzânia em 1974.
    Luzia possui feições paleoamericanas, semelhante aos habitantes de regiões da África e Oceania, levando à discussão das rotas de migração que levaram à ocupação humana no continente americano. Ela faz parte do grupo conhecido como “Homens de Lagoa Santa”, nômades que provavelmente viviam da coleta de vegetais na região, onde hoje se localiza o município de Lagoa Santa e seu entorno. Estes nômades provavelmente conviveram com a fauna extinta do Pleistoceno há cerca de 11.000 anos, constituída por preguiças e tatus-gigantes, entre outros animais.

    ResponderExcluir
  3. muita boa a descoberta não tinha ouvido falar desse assunto até hoje. meu filho esta fazendo a 4ª série do ensino fundamental e levou um trabalho para ser pesquisado pela internet sobre este assunto, foi onde comecei a pesquisar sobre o assunto e passei a conhecer a história de luzia o fossil mais antigo encontrado no brasil.

    ResponderExcluir
  4. Show o post. Sobre a Luzia, fiz uma remodelagem dela, lançando mão do busto clássico: www.ciceromoraes.com.br/?p=364 Grande abraço!

    ResponderExcluir

CLIQUE NO LINK ABAIXO PARA ACESSAR NOVAS POSTAGENS!